ESTÁCIO RECEBE MEDALHA

ORDEM DO MÉRITO JUDICIÁRIO MILITAR


No dia 10 de abril de 2018, no Clube do Exército de Brasília - DF, deu-se a solenidade de imposição de insígnias da ORDEM DO MÉRITO JUDICIÁRIO MILITAR* a diversas personalidades, dentre as quais ao nosso queridíssimo amigo JOÃO ESTÁCIO DE FREITAS NETO, por indicação do General de Exército e Ministro do Superior Tribunal Militar (STM) MARCO ANTÔNIO DE FARIAS.

Ao receber a honraria no grau “Distinção”, Estácio esteve acompanhado, além da esposa, Ana Maria, de vários amigos representantes da Turma de 1967 da EPCAR – Turma Mete a Cepa -, da qual é Coordenador. A solenidade aconteceu por ocasião da comemoração dos 210 anos de existência do Superior Tribunal Militar e foi presidida pelo próprio Presidente do STM, Ministro Dr. José Coêlho Ferreira. Estácio teve como paraninfo o Ministro do STM Dr. Péricles Aurélio Lima de Queiroz, de quem recebeu sua comenda.

Da Força Aérea Brasileira estiveram presentes os Ministros do Superior Tribunal Militar Tenente-Brigadeiro do Ar WILLIAM DE OLIVEIRA BARROS e Tenente-Brigadeiro do Ar FRANCISCO JOSELI PARENTE CAMELO, ambos velhos conhecidos de quem já esteve ou continua nas fileiras da FAB.

Representaram a Turma EPCAR-67: 67-125 De Souza, 67-380 Portugal, 67-129 Monteiro, 67-381 Oliveira Freitas, 67-370 Jefferson, 67-281 Lyrio, 67-009 Wellington, 67-006 Caceres, 67-361 Pedreira, 67-310 De Oliveira, 67-199 Alevato, 67-334 Soares e 67-061 Farias.

Comemoração pós-evento não faltou. Os casais Estácio e Ana, Alevato e Suzana, Jefferson e Lúcia e De Oliveira e Wilma se reuniram à noite para um jantar no Bar e Restaurante Fausto & Manoel.

Por fim, todos nós, componentes da Turma Mete a Cepa, orgulhosos, parabenizamos o nosso Comendador, enquanto o mesmo reitera os agradecimentos aos que puderam comparecer à solenidade e/ou que lhe enviaram felicitações através do whatsapp, email ou telefone, pela comenda recebida.

Com o meu abraço a todos,

Santos Oliveira

* “A Ordem do Mérito Judiciário Militar (OMJM) foi criada pelo Superior Tribunal Militar (STM), em Sessão de 12 de junho de 1957, e destina-se a premiar pessoas e instituições, públicas ou privadas, nacionais ou estrangeiras por meio da concessão de insígnias”.
 

Fotos: https://photos.app.goo.gl/5OubKR2KrOIh8j823
 

 

X ChurUba do Zelinski
13 a 15 de abril de 2018
 


 

Com a recepção impecável de sempre, por parte dos donos da casa, e a alegria contagiante de todos os participantes, tivemos mais uma vez o encontro anual promovido pelos amigos Zelinski e Cléo. Dessa vez, em Angatuba - SP, no Sítio Refúgio do Guerreiro.

Ao chegarmos ao sítio (Santos Oliveira, Marta, Saulo e Silvia) na tarde da quinta-feira, de cara já notamos a decoração do ambiente caprichosamente idealizada e levada a efeito pela Cléo. Zanetti e a esposa já se encontravam no recinto, com a mão na massa, preparando duas apetitosas saladas agridoces; uma com morangos, outra com abacaxis, para o primeiro encontro da noite. As saladas viriam acompanhar um suculento pernil preparado pela Graça (Raul) e bruschettas e tagliatelli ao molho de gorgonzola, preparados pela dupla Fedozzi e Cristina; além de carne de sol com aipim preparado pelo Saulo. Vinho foi o acompanhamento preferido nesse, digamos,"início dos trabalhos", não nos esquecendo do pudim de leite e da torta de maçã com sorvete como sobremesas. Hummmm!... Foi "covardia"!

Quem pôde chegar na quinta-feira, portanto, teve as mordomias antecipadas, a começar com café de boas-vindas da Cléo, acompanhado de bolos levados pela Marta. Mais tarde chegaram Coré e Carminha, Fedozzi e Cristina, Sovat e Rosa, Raul com a Graça, a filha Carol e a netinha Luiza (que já se tornou mascote dos nossos encontros). À noite Zelinski nos encaminhou à praça principal da cidade - chamada "Praça da Matriz" pelos Angatubenses, mas que na verdade abriga a Paróquia do Divino Espírito Santo. O motivo do passeio foi que naquela noite, coincidentemente, se apresentava na praça a ORQUESTRA BACHIANA FILARMÔNICA SESI - SP, regida pelo maestro João Carlos Martins. Bela apresentação!

De volta ao sítio do Zelinski, já por volta das vinte e uma horas, aí sim, a festa começou com os comes-e-bebes preparados para a noite, que, diga-se de passagem, se estendeu até as duas e pouca da manhã do dia seguinte.

Para a sexta-feira o combinado era todos estarem no sítio às onze da manhã para um passeio a uma fazenda das redondezas: Fazenda Ecológica do Estado. A visita foi retardada porque alguns ainda estavam em trânsito, rumo ao sítio, monitorados a todo instante pelo Saulo. Mas, nada que nos fizesse mudar de ideia quanto à visitação à fazenda, local bonito e agradável.

Da fazenda ecológica partimos para o Restaurante Recanto da Cachaça, de comida feita em fogão à lenha. O espaço ficou exclusivamente reservado para o nosso grupo. Resultado: Enchemos o salão.

Para a noite, Zelinski e Cléo haviam nos reservado um rodízio de pizza em casa. E que rodízio! Sucesso total com muito vinho consumido. Mais uma vez, a farra se estendeu até as tantas...

Chega o sábado, dia principal do evento. O café da manhã ocorreu mais cedo para deixarmos o “caminho livre” para a equipe que viria preparar o almoço. Ainda tinha gente para chegar: os que só puderam vir nesse dia. E aos poucos eles foram chegando para alegrar ainda mais o ambiente.
Já com a casa cheia, a festa se consagrou: um churrasco foi servido com vários tipos de carne, dentre as quais a de carneiro, regada a um delicioso molho de hortelã. A sobremesa foi o bolo comemorativo do ChurUba.
 


O bolo



E olhem só a mordomia: a piscina, a "hidro" e a sauna a vapor estavam liberadas; muita cerveja, cachaça e vinho rolavam o tempo todo; uma apresentação do repentista Joinha acompanhado pelo violão do Chico nos divertiu muito; por fim, já por volta das quatro e meia da tarde, uma apresentação-surpresa, pós-almoço, de belas "ciganas" em torno da piscina, mereceu a aclamação apoteótica dos homens. Nota: As ciganas estavam tão bem caracterizadas que o Éder, não reconhecendo a própria esposa no grupo, indagou: "Ué!... Cadê a minha mulher?!". (Pode uma coisa dessa?!...). Ah, mas teve uma surpresa ainda maior! Como sempre tem "gente que quer apagar o brilho dos outros", não é que o Sovat também quis se caracterizar, só para se apresentar sozinho pra todo mundo?! Deu seu recado incorporando o espírito da cigana Sandra Rosa Madalena. Estava divino!
 


A nova versão da cigana Sandra Rosa Madalena.
 


Mas a festa não acabou aí. Ainda tivemos o jantar servido com arroz carreteiro e galinha ao pequi (coisa de Goiano!)...

... E chega o domingo. Com ele o café da manhã, as despedidas com os mais-que-devidos agradecimentos, e já com pensamento no próximo ChurUba, no ano que vem. Como diria um bom mineiro: "O trem foi "bão" demais, sô!".

Muitas fotos foram registradas durante a nossa estada no sítio. Da minha parte, montei três álbuns (Vejam no final da reportagem): um, só com as paisagens do local; outro, com flashes dos vários momentos curtidos por todos, nos dias que se sucederam; e o terceiro com dois vídeos das ciganas. Quem quiser que eu acrescente mais alguma foto nos álbuns, favor me enviar pelo meu email. Peço, ainda, que os maridos mostrem esta reportagem às esposas, pois várias delas sempre “puxam as minhas orelhas” dizendo que eu nunca divulgo as fotos registradas.

Para finalizar, expressamos nossos agradecimentos a todos os que direta ou indiretamente contribuíram para que a festa se transformasse no sucesso em que se transformou: ao casal Zelinski, que nos recepcionou tão maravilhosamente; ao Saulo e Silvia, que, como bons pastores, sempre se prestam a "controlar as ovelhas" não as deixando se desgarrar do grupo nessas horas; ao Zanetti e esposa Claudia, que "madrugaram" chegando bem antes para preparar alguns quitutes para nós; aos que, da mesma forma, contribuíram levando alguma coisa para ser acrescentada ao que já estava previsto no cardápio (Garcia e Cia. com as pingas e vinhos, Marta com os bolos, Graça com o pernil, Fedozzi e Cristina - os "Reis do Tagliatelli", ao Saulo com a carne de sol com aipim; e quem mais eu esteja esquecendo, que me perdoem...); ao Marcos "Boiadeiro", sempre solícito; à "equipe do forno e fogão", sem a qual estaríamos até agora mortos de fome; às ciganas maravilhosas que nos encantaram com seus trajes e sua dança, mesmo sem o "som" que esperavam a todo volume (foram boicotadas pelas sonoplastas Carol e Vanessa; inveja, com certeza!); enfim, aos que, simplesmente com suas presenças, abrilhantaram o recinto. A todos, sem distinção, o nosso muitíssimo obrigado! Essa Turma é "nota 10"!

Esperando revê-los em breve, em mais um dos nossos momentos felizes, segue o meu fraterno abraço.

Santos Oliveira  

Links para fotos: https://photos.app.goo.gl/xIdgZYcAkUhIT5Fp1 e https://photos.app.goo.gl/mMrxsBhhBDJylsjG3


Link para os vídeos: https://photos.app.goo.gl/jOFy2LuFKdwuEgFP2